Pular para o conteúdo principal

Documentos escolares: onde encontrá-los?


Muito já se falou a respeito da internet. Que é uma boa ferramenta. Que é perigosa, em especial para crianças, que ainda não têm senso para perceber o perigo. Além disto, já se falou também da infinidade de informações que temos acesso pela net.
Vamos falar, neste texto, deste último ponto. Como ter acesso a esta infinidade de informações, chegando até a informação que se deseja.
Por meio deste blog, sempre recebo perguntas de internautas sobre alguns textos, alguns assuntos, que abordei em outras postagens, pedindo maiores informações.
Ontem recebi um destes questionamentos, que pedia mais informações sobre o CEEJA. Deste questionamento surgiu a ideia desta postagem.
Como a pergunta era relacionada à Educação, irei tratar, nesta postagem, disto... Onde conseguir maiores informações a respeito de: escolas, históricos, documentos antigos, etc... etc...
Vou focar, nesta postagem, as informações relacionadas ao Estado de São Paulo, pois cada Estado da Federação tem uma Secretaria de Educação, portanto distintas organizações do seu Sistema educacional.
Vamos começar pelas escolas, pois é o primeiro lugar onde devemos buscar determinadas informações sobre nossa trajetória escolar. Se você precisa de um documento (segunda via de um histórico, histórico escolar, declaração de que é aluno, declaração de frequência...) é lá que você poderá solicitar esta documentação. Mas não é em qualquer escola! É na última escola onde você estudou ou onde estuda atualmente.
Se esta escola fechou, foi extinta, ou seja, não existe mais. Onde vai procurar estes documentos? Neste caso, deverá se dirigir a uma Diretoria de Ensino da região onde você estudou, procurar o setor responsável, agora chamados de Núcleos, para fazer a solicitação. Ou ainda, no mesmo lugar, procure o Plantão da Supervisão para obter a informação a respeito da localização do acervo documental da escola extinta.
Se você estudou até o ano 2000, tem o histórico de conclusão do
Ensino Fundamental ou do Ensino Médio original, vai, agora, se matricular em uma faculdade, solicitaram a publicação de lauda, mas esta informação não está no verso do seu documento, também deverá se dirigir até uma Diretoria de Ensino, onde poderá solicitar a colocação das informações: data da publicação da lauda de conclusão no Diário Oficial, página, seção. Estas informações atestarão que sua vida escolar está correta, portanto pode se matricular em uma Faculdade... claro, após passar no vestibular!
Se você estudou e concluiu o Ensino Fundamental ou o Ensino Médio a partir de 2001, não precisará da publicação da lauda, pois a partir desta data foi implantado, no Estado de São Paulo, um sistema chamado GDAE, onde são inseridos os concluintes. Estas informações do aluno constantes neste sistema são conferidas pelo Supervisor de Ensino da Escola, bem como todos os documentos constantes do prontuário do aluno (na própria escola), posteriormente é publicado um número, que é colocado no histórico escolar, também atesta que ele concluiu um destes níveis. Importantíssimo lembrar que, caso o aluno deva algum documento para a escola, o GDAE dele não será publicado até que ele entregue o documento na referida unidade escolar.
Qual a implicação disto? Se ele conseguir se matricular em uma faculdade sem este número do GDAE, quando se formar, não receberá o diploma, enquanto não houver a publicação do GDAE do Ensino Médio. Isto vale também para alunos que cursam o Ensino Médio em uma escola, depois fazem o Curso Técnico em outra escola, por exemplo, em uma ETEC. Como existem cursos técnicos pós ensino médio, a conclusão de um está atrelada à conclusão do outro.
Quem já concluiu o Ensino Médio ou o Ensino Fundamental, mas não sabe se o GDAE foi publicado, poderá ter acesso a esta informação rapidamente e sem custo pela internet. Dirija-se ao site www.gdae.sp.gov.br , na pagina inicial (mais ou menos no meio da página), clique em “concluintes, nome de alunos formados”, será redirecionado para a próxima página, onde deverá colocar seu número de RG, clicar em pesquisar, na próxima página serão exibidas as informações. Se estiver tudo correto, serão exibidas a publicação do número do GDAE do Ensino Fundamental, logo abaixo a do Ensino Médio, se o aluno tiver cursado o Profissionalizante, aparecerá um terceiro número. Esta consulta é uma consulta pública, que pode ser feita pelo próprio interessado ou por outra pessoa, desde que tenha em mãos o número do RG do aluno.
Se você acessou a consulta pública, não tem a publicação de conclusão que procura, se você realmente concluiu uma das modalidades (Ensino Fundamental, Ensino Médio ou Profissionalizante), precisará entrar em contato com a Escola, verificar se você ficou devendo alguma documentação e providenciar a entrega o mais rápido possível. Quais são os principais documentos, que podem impedir a publicação da conclusão no GDAE? O RG (ou carteira de identidade), certidão de nascimento ou casamento, histórico escolar parcial (escola anterior), atualmente para os alunos do Ensino Médio, é exigido também o CPF. Todas as cópias destes documentos deverão ser de boa qualidade, que permitam ler, sem sombra de dúvida, as informações do aluno: nome completo (certidão de nascimento ou casamento), número do RG, número do CPF. Estas são as informações que são conferidas no GDAE, onde será feita a publicação, após a devida conferência pelo Supervisor de Ensino da Escola.
Alunos que concluíram o Ensino Fundamental em outro Estado, o médio no Estado de São Paulo, terão a publicação do GDAE somente deste último.
Como puderam ver, caros internautas, a falta de um documento no prontuário do aluno poderá dificultar o prosseguimento dos estudos no Curso Superior, por isto é tão importante entregar, na secretaria da escola, os documentos solicitados!
Caso tenha estudado há muito tempo, não se lembre a qual Diretoria de Ensino sua ex-escola está jurisdicionada, poderá procurar esta informação no site da SEE: www.educacao.sp.gov.br , em “central de atendimento”, clicar em “localize uma escola”, em seguida preencher as informações solicitadas. Caso não consiga, na mesma página há um telefone para pedir informações.


Comentários

Anônimo disse…
Muito boas dicas! Parabéns!
Anônimo disse…
Muito boas suas dicas! Parabéns!
Unknown disse…
Boa noite gostaria de saber se o comprovante fornecido pelo site do GDAE ppde substituir uma declaração escolar numa matricula no CEEJA?
catléia disse…
A publicação no GDAE não substitui o histórico escolar. O número de publicação do GDAE atesta que sua documentação escolar foi conferida por um Supervisor de Ensino, que as informações referentes a sua vida escolar estão de acordo com a Lei.
As escolas imprimem os históricos escolares, após conferência do Supervisor de Ensino, registram o número desta publicação para serem entregues aos alunos.
Caso você não tenha este número da publicação poderá consultá-lo no site: www.gdae.sp.gov.br , quase no centro da página inicial há um ícone “Concluintes – nomes de alunos certificados”, clicando nele você irá para uma página, onde deverá digitar o número do seu RG, com dígito, o estado de emissão do RG, clicar em pesquisar, então sairão os registros de publicação no GDAE.
Unknown disse…
Olá boa tarde,queria saber se aqui em SP o certificado de conclusão do ensino médio é publicado só no GDAE mesmo,ou tambem é publicado no Diário Oficial?E se tiver publicado só no GDAE já está valido?Me responda por favor.
catléia disse…
Até 2000 havia a publicação em Diário Oficial, a lauda. A partir de 2001 está publicação foi substituída pela publicação no GDAE. Ou seja, a partir de 2001 não existe mais a publicação no D.O.E.
silmar disse…
Olá gostaria de saber como eu conclui o ensino fundamental em são Paulo e o médio no RJ como tenho todos os documentos em mãos não implica em curso público pois meu nome está no gdae/SP é no doe RJ desde já agradeço obg
catléia disse…
Silmar,
Não entendi seu questionamento. Se você tem o GDAE, se tem publicação de conclusão em outro Estado... qual o seu problema? Pode esclarecer?

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas sobre provas para eliminação de matérias e ENCCEJA E ENEM

Escrevi uma postagem com dicas para concurseiros de primeira viagem, mas analisando os atendimentos diários que faço no meu trabalho, pensei em escrever outro(s) texto(s) com dicas ou orientações sobre outros assuntos, pois mesmo com tanta informação disponível, as pessoas continuam sem conhecimentos básicos, que podem ajudá-las a resolver problemas simples do seu cotidiano, que vão desde onde procurar a informação, como também onde cobrar seus direitos.
Para começar esta série de textos, vou falar um pouco das provas para eliminação de matérias. As pessoas buscam muito este tipo de avaliação, na qual, desde que atinjam as médias, eliminam todo o ensino fundamental ou todo o ensino médio.
Para quem pretende eliminar o ensino fundamental - Ciclo II (antigo ginásio, 5ª a 8ª série, 6º ao 9º ano atualmente) poderá fazê-lo por meio do Encceja, que é uma avaliação de eliminação de matérias, ou seja, o candidato pode ir eliminando áreas (Linguagens e Códigos, Ciências da Natureza, Ciências Hum…

HISTÓRIA DE ANA ROSA

Você já ouviu a música sertaneja de Tião Carreiro e Carreirinho intitulada "Ana Rosa"? Se ouviu conhece a história dessa mulher. Se não ouviu, farei um resumo da história. Ana Rosa morava em Avaré, cidade próxima a Botucatu. Como muitas jovens de sua época casou-se cedo, pois havia se apaixonado por Francisco de Carvalho Bastos, mais conhecido como Chicuta, que era muito ciumento, por isso trazia a esposa sob constante vigilância. Homem dos idos de 1880, muito machista, começou a maltratar a mulher, tanto moral quanto fisicamente. Até que um dia a jovem esposa cansou de tanto sofrer, fugiu para Botucatu, refugiando-se em um cabaré de uma mulher chamada Fortunata Jesuína de Melo. Quando o marido chegou em casa e não encontrou a mulher, ficou cego de ciúmes, procurou-a por todos os lados, até que soube que ela havia fugido e para onde havia ido. Mais do que depressa ele se dirigiu para Botucatu, onde chegou e contratou José Antonio da Silva Costa, mais conhecido por Costinha, e He…

STAROUP: propagandas, história e futuro da marca

Você se lembra desta marca? Sabe de qual produto? Não?????!!!!!!
Pois bem... vou refrescar a memória daqueles que estão nos "enta", dos mais jovens que nunca ouviram esta palavra.
Quando eu era adolescente, o que não faz muito tempo, o jeans, que mais se ouvia falar, cujas propagandas eram inteligentíssimas, bem feitas, ainda por cima engajadas, eram da Staroup. 
Uma delas foi premiada internacionalmente, porque mostrava o engajamento dos jovens, que eram ousados, corajosos, lutavam contra o regime da época: a Ditadura Militar. 
Esta propaganda, famosíssima, ganhadora do Leão de Ouro em Cannes, foi pensada, pelo não menos famoso, Washington Olivetto, da Agência W. Brasil. Quer conhecê-la? Acesse e conheça!




Além deste premiado, há outros. Há o comercial abaixo, que mostra a então adolescente, Viviane Pasmanter, no papel da gordinha, que quer usar um jeans da Staroup e faz uma verdadeira maratona para conseguir alcançar seu objetivo. A qualidade do vídeo não é muito boa, porém vale…