Pular para o conteúdo principal

Arquitetamos sonhos

Muitas vezes andei por aquela rua. Indo para o trabalho. Visualizando a subida íngreme, mas que tinha dois quarteirões. Quantas vezes andei por ela indo visitar parentes, que nela moravam.
Um dia meus olhos avistaram um terreno, cheio de mato, próximo a outras casas. Nele havia uma placa. Uma imobiliária anunciava sua venda. De um comentário como esposo, surgiu o interesse. A venda para o primeiro comprador não saiu. Ficamos à espera.
Ali removemos muita terra. Setenta caminhões. Dali saíram muitos ratos, que lá habitavam há muito tempo. Após a limpeza necessária, os tapumes colocados. Começamos a levantar nosso sonho. Primeiro em nossas mentes. Mais tarde uma arquiteta, amiga nossa, materializou-o usando o AUTOCAD. Estava ali. Diante de nós o sonho desenhado com detalhes, medidas e proporções.
O tempo passou. Economia. Muita economia. Salário de professor, pagando aluguel. Fomos erguendo o sonho, tijolo por tijolo. Percalços, muitos no caminho. Pedreiro sem compromisso, desonesto. Obra inacabada. Mudança apressada. Garagem sem portão. Tapumes vedavam nosso lugar dos olhares indiscretos. Escuridão. Mudamos. Nossa casa. Nossa primeira casa. Sem varanda. Uma porta para o nada. A janela para o mundo.
Muita luta. Muitas prestações depois. Muitas idas ao depósito de materiais de construção depois. Trabalhos extras nas férias para o marido. Economia, muita economia em casa. Sem saídas para o lazer. Sem roupas novas e novos calçados. Sem a pizza tão desejada. Amigos ajudaram. Mutirão para encher as lajes. Churrasco para alegrar os amigos, parentes e demais, ex-alunos, vizinhos, todos eram bem vindos. Uma laje. Duas lajes.
Pausa para recuperar as forças, recuperar as finanças. Sonho ali, inacabado. Mais um sonho um lar bonito, novo, confortável para mãe e irmãos. Mais tempo se passou.
Mais pedreiros, mais tempo, mais dinheiro. Mais luta. Muita luta. Mais trabalho nas férias do marido para ganhar um extra. Mais um lance da enorme escada. Muitas viagens pelas cidades da grande região. Livros entregues. Divulgação.
Mais tempo se passou e a continuidade de nosso sonho. A entrada da luz. Uma mão, duas mãos, um grande irmão. Energia? Fiação? Quem vai passar? Marido, irmão caçula, amigo-irmão, o Marcão.
Enfim chegou o dia. Alguns detalhes faltavam. Tomadas? Muitas? Colocadas? Somente as necessárias. Mudança. Mãe e irmãos caçulas no seu novo lar. Pai? Tinha sido convocado por Deus. Profetizou “Não, não vou morar nesta casa. A 2000 chegarei, de 2000 não passarei.”

Quantas lembranças... Tempos duros, mas de realizações. Só de escrever este texto, relembrar alguns anos de vida, um filme se projeta em minha frente. Lágrimas nos olhos. Coração feliz! Realizamos nosso sonho. Contribuímos para realizar outros sonhos, sonhos de mãe e irmãos. 

Comentários

Lucelena disse…
História de muitos, realmente, um texto lindo!!!
catléia disse…
Lucelena, obrigada pelo seu comentário. Que bom que gostou!

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas sobre provas para eliminação de matérias e ENCCEJA E ENEM

Escrevi uma postagem com dicas para concurseiros de primeira viagem, mas analisando os atendimentos diários que faço no meu trabalho, pensei em escrever outro(s) texto(s) com dicas ou orientações sobre outros assuntos, pois mesmo com tanta informação disponível, as pessoas continuam sem conhecimentos básicos, que podem ajudá-las a resolver problemas simples do seu cotidiano, que vão desde onde procurar a informação, como também onde cobrar seus direitos.
Para começar esta série de textos, vou falar um pouco das provas para eliminação de matérias. As pessoas buscam muito este tipo de avaliação, na qual, desde que atinjam as médias, eliminam todo o ensino fundamental ou todo o ensino médio.
Para quem pretende eliminar o ensino fundamental - Ciclo II (antigo ginásio, 5ª a 8ª série, 6º ao 9º ano atualmente) poderá fazê-lo por meio do Encceja, que é uma avaliação de eliminação de matérias, ou seja, o candidato pode ir eliminando áreas (Linguagens e Códigos, Ciências da Natureza, Ciências Hum…

ENCCEJA 2017 – ELIMINAÇÃO DE MATÉRIAS – CONCLUSÃO ENSINO FUNDAMENTAL – CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO

Se este texto for útil para você, deixe seu comentário, dizendo se gostou, como encontrou este blog.

Se você precisa concluir o Ensino #Fundamental ou Ensino #Médio, não tem condições de frequentar a escola, tem 15  ou 18 anos, poderá se inscrever para as provas do #Encceja, que o MEC voltará a aplicar neste ano. Por meio desta prova você pode obter a #conclusão do Ensino Fundamental ou Ensino Médio, ou ainda, eliminar as matérias, nas quais conseguir acertar ao menos 50% das questões em cada área, inclusive na redação. Importante salientar, que a partir deste ano o #Enem deixará de servir para certificação do Ensino Médio, portanto se você precisa concluir o Ensino Médio aproveite e faça o #Encceja2017. Outra informação muito importante, para quem reside no Estado de São Paulo, é que após realizar a prova do encceja e não passar em todas as áreas, poderá procurar, a qualquer momento, um dos CEEJAS existentes. O CEEJA é uma Centro de Educação de Jovens e Adultos, que é um projeto, cuja fr…

Super heroína: minha mãe

Pela nossa vida procuramos modelos, ídolos, heróis com super poderes, mas não vemos os heróis e heroínas ao nosso redor. Quem são? Onde se escondem? O que fazem? Minha mãe é uma dessas pessoas: uma heroína! Por vários motivos, por isso falarei de alguns deles. Retirante, aos 19 anos, em uma viagem muito longa, com quase toda família, deixou o interior do Pernambuco, Serrita, veio para o interior do Paraná, Terra Rica, naquele tempo ainda distrito de Paranavaí, pequenina, ruas de terra, casas de madeira, o mato sendo desmatado. Vida dura, sem conforto! Casou-se aos 21, em um ano já tinha seu primeiro filho, enfrentava diariamente os desafios da primeira maternidade, os problemas com o marido, rude, mas trabalhador e honesto. Dois anos e pouco depois do primeiro filho, já tinha o segundo, mais dois anos, o terceiro filho, mais dois anos: eu nasci. Nesta época ela tinha dupla jornada: na roça trabalhando na enxada ao lado de meu pai (dos filhos pequenos) e quando chegava em casa, ainda tinh…