Trânsito de interior... nem tanto!


Voltei a dirigir há um ano. Anteriormente dirigi em uma cidade de 700.000 habitantes, de trânsito complicado, muitos ônibus pra lá e pra cá, congestionamentos, muitos pedestres, claro.
Neste período dirigia pouco, ia para o curso de informática à noite no centro da cidade, deixava o carro em estacionamento pago, voltava pra casa.
Quando ia ao supermercado, ia com o marido, que ia dirigindo.
Agora que voltei a dirigir, porque quis voltar, porque senti necessidade de maior independência, bem como de poder ir e voltar aos lugares, sem ter que ficar mais de uma hora no ponto de ônibus em pé, contando os outros ônibus, ouvindo histórias da vida alheia, fofocas do bairro, etc.
Mudei, claro, de cidade, percebe-se pela rotina no ponto de ônibus e pela demora dos coletivos. Uma cidade bem menor, mas considerada de médio porte.
Aqui o trânsito é complicado em alguns horários: de manhã, no final da tarde, no horário do almoço, pois as pessoas vão almoçar em casa e voltam. Há algumas ruas, onde o tráfego é mais complicado.
Tenho observado muito o comportamento dos motoristas  ao volante, porque preciso dirigir por mim e pelos outros.
Tenho visto de tudo:
- gente que dirige falando ao celular;
- gente que não usa seta para indicar em que rua vai entrar ou onde vai estacionar, ou se está saindo do local onde ficou estacionado;
- gente que faz retorno proibido;
- andar à noite sem uma lanterna acesa, ou seja, totalmente às escuras: sem farol, sem seta, sem nada!
- estacionar em vaga de idoso (sem ser idoso).
Além destas clássicas, tem uma nova: estacionar na zona azul e não pagar o estacionamento, porque não sabia que era cobrado! Esta situação vi uma vez, logo que implantaram o sistema.
Tem uma avenida da cidade, ontem tem um semáforo em frente a um grande supermercado, abaixo do semáforo uma lombada bem larga e uma faixa de pedestres. O semáforo é acionado pelo pedestre. Adivinhem o que mais acontece neste lugar? Você sabe?
Então envie sua resposta pelo COMENTÁRIO abaixo desta postagem. Ficarei feliz em ler as participações! 

Comentários

Ynot Nosirrah disse…
Deve haver sempre alguém parando o carro sobre a faixa, como em todo lugar acontece. As cidades do interior estão mais parecidas com as capitais. Estou preparando uma postagem sobre esse tema.