Pular para o conteúdo principal

Minha primeira experiência de reunião utilizando um aplicativo de reuniões


 

Como estamos, ainda, em período de quarentena, devido à pandemia do COVID-19, vivenciamos e participamos semanalmente de diversas reuniões on line realizadas utilizando os aplicativos existentes. Em sua maioria são realizadas por um aplicativo da Microsoft, devido ao contrato com a Secretaria, na qual trabalho.

Este aplicativo não é utilizado por todas as Secretarias da região, muito menos por todos, pois há aplicativo que funciona melhor em uma região, não funciona bem em outra, devido aos problemas recorrentes de qualidade e velocidade de conexão.

Por estes motivos optei por usar aquele aplicativo, cujo tempo das reuniões é restrito a cerca de 40 minutos nos planos gratuitos.

Fiz uma reunião com uma equipe de outra cidade, distante cerca de 80 quilômetros, onde a secretaria municipal utiliza o citado aplicativo.

O limite de tempo já é um dificultador!

O app não é muito difícil de usar, mas antes de marcar as reuniões, é importante acessar as configurações e ver certas limitações, que ficam pré-estabelecidas, caso não sejam alteradas causam problemas? Quais? Ao tentar socializar sua tela ou um PPT com os demais, isto não acontecerá!

Outra coisa, dica minha, deixe pré-agendada uma segunda reunião para a mesma equipe, com um intervalo, entre o término da primeira reunião, assim poderá enviar o link ou o convite, caso seja necessário. Se a reunião ocorrer dentro do tempo previsto, não terá problemas, mas se precisar já tem outra agendada e não perderá muito tempo fazendo um novo agendamento.

Quais problemas tive durante a reunião? Alguns...

- o aplicativo encerrou a reunião e eu não fui notificada;

- o navegador, que eu estava usando, do nada bloqueou meu microfone. Tentei desbloquear, mas não deu certo!;

- tentei acessar de novo a reunião pelo mesmo navegador, mas já iniciava  com o microfone mudo;

- mudei de navegador...

Adiantou? Sim... por alguns minutos!

Este outro navegador bloqueou meu microfone e minha câmera “TEMPORARIAMENTE”, só que não permitia que eu desbloqueasse!

Saí e entrei novamente, usando o mesmo navegador! Por que pelo navegador? Se eu usasse o aplicativo baixado no notebook ele não me permitia acessar arquivos do notebook, havia algumas opções de acessar arquivos/pastas em nuvem. Talvez, por usar pela primeira vez, ou pelo desespero de fazer as pessoas esperarem e perderem tempo, eu não tenha sabido também onde encontrar esta opção.

Entre um problema e outro o que houve?

Achou que não podia piorar? Pois piorou! Como?

O notebook que uso, que é da Secretaria e não meu, é novo! Só tem 10 anos!!! Pouco não é? Para uma criança sim! Para um equipamento, NÃO!

Ele não acessa mais a câmera de fábrica! Não existe mais drive para instalá-la, porque a empresa que o fabricou, não fabrica mais, nem tem mais onde baixar softwares! Microfone? Funciona. SQN!

Você, jovem internauta, deve estar curioso, doido para saber, quantos Gigabytes tem esta belezinha,  não é?  Deve estar achando, que é um dinossauro, que tem uns 500 Gb!!! Acertou? Não! Errou! Meu jovem incauto internauta, o equipamento citado tem 297 Gb! Isto mesmo! Duzentos e noventa e sete Gigabytes! É um sobrevivente!

Que Windows que uso? O que este mega, super, ultra novo notebook permite, que seja mantido nele: Windows 7! Sim, meu caro!

Enquanto por aí se usa Windows 10! Se fazem treinamentos sobre acessibilidade no Windows 10, nós, aqui, na base, pobre mortais do baixo clero, usamos... Windows 7 e notebook de 297 Gigabytes!

Consegui realizar a reunião, mas os dissabores foram tantos! Tive vontade de avisar aos envolvidos, que não tinha condições técnicas para prosseguir! Em respeito a eles insisti e consegui, aos trancos e barrancos, concluir a reunião, que havia me proposto a fazer!

Ao final agradeci aos participantes e pedi desculpas pelos problemas técnicos! Que mais podia fazer?

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas sobre provas para eliminação de matérias e ENCCEJA E ENEM

Escrevi uma postagem com dicas para concurseiros de primeira viagem, mas analisando os atendimentos diários que faço no meu trabalho, pensei em escrever outro(s) texto(s) com dicas ou orientações sobre outros assuntos, pois mesmo com tanta informação disponível, as pessoas continuam sem conhecimentos básicos, que podem ajudá-las a resolver problemas simples do seu cotidiano, que vão desde onde procurar a informação, como também onde cobrar seus direitos.
Para começar esta série de textos, vou falar um pouco das provas para eliminação de matérias. As pessoas buscam muito este tipo de avaliação, na qual, desde que atinjam as médias, eliminam todo o ensino fundamental ou todo o ensino médio.
Para quem pretende eliminar o ensino fundamental - Ciclo II (antigo ginásio, 5ª a 8ª série, 6º ao 9º ano atualmente) poderá fazê-lo por meio do Encceja, que é uma avaliação de eliminação de matérias, ou seja, o candidato pode ir eliminando áreas (Linguagens e Códigos, Ciências da Natureza, Ciências Hum…

HISTÓRIA DE ANA ROSA

Você já ouviu a música sertaneja de Tião Carreiro e Carreirinho intitulada "Ana Rosa"? Se ouviu conhece a história dessa mulher. Se não ouviu, farei um resumo da história. Ana Rosa morava em Avaré, cidade próxima a Botucatu. Como muitas jovens de sua época casou-se cedo, pois havia se apaixonado por Francisco de Carvalho Bastos, mais conhecido como Chicuta, que era muito ciumento, por isso trazia a esposa sob constante vigilância. Homem dos idos de 1880, muito machista, começou a maltratar a mulher, tanto moral quanto fisicamente. Até que um dia a jovem esposa cansou de tanto sofrer, fugiu para Botucatu, refugiando-se em um cabaré de uma mulher chamada Fortunata Jesuína de Melo. Quando o marido chegou em casa e não encontrou a mulher, ficou cego de ciúmes, procurou-a por todos os lados, até que soube que ela havia fugido e para onde havia ido. Mais do que depressa ele se dirigiu para Botucatu, onde chegou e contratou José Antonio da Silva Costa, mais conhecido por Costinha, e He…

STAROUP: propagandas, história e futuro da marca

Você se lembra desta marca? Sabe de qual produto? Não?????!!!!!!
Pois bem... vou refrescar a memória daqueles que estão nos "enta", dos mais jovens que nunca ouviram esta palavra.
Quando eu era adolescente, o que não faz muito tempo, o jeans, que mais se ouvia falar, cujas propagandas eram inteligentíssimas, bem feitas, ainda por cima engajadas, eram da Staroup. 
Uma delas foi premiada internacionalmente, porque mostrava o engajamento dos jovens, que eram ousados, corajosos, lutavam contra o regime da época: a Ditadura Militar. 
Esta propaganda, famosíssima, ganhadora do Leão de Ouro em Cannes, foi pensada, pelo não menos famoso, Washington Olivetto, da Agência W. Brasil. Quer conhecê-la? Acesse e conheça!




Além deste premiado, há outros. Há o comercial abaixo, que mostra a então adolescente, Viviane Pasmanter, no papel da gordinha, que quer usar um jeans da Staroup e faz uma verdadeira maratona para conseguir alcançar seu objetivo. A qualidade do vídeo não é muito boa, porém vale…