Pular para o conteúdo principal

"Killing" e serviço voluntário

Acabo de assistir uma “killing”. Aquela notícia “boa” para fazer o telespectador esquecer tudo de ruim, que assistiu no jornal.
A matéria em questão mostrava o quanto Tóquio, capital do Japão, é mantida limpa, impecável com a ajuda de voluntários. Encerram a notícia dizendo: “Viu? É possível!”
O que se esquecem os âncoras de tal jornal, que no País em questão, as pessoas têm garantidos seus direitos fundamentais: saúde, educação, segurança.
Não disseram também, que neste País a expectativa de vida, acredito, seja maior do que a do brasileiro. E por quê? Porque eles têm educação, saúde e segurança.
O que mais eles têm? Leis mais duras, uma educação tradicionalíssima, chegando ao ponto das crianças limparem as escolas e lavarem a louça, após a alimentação escolar. Coisa impensável em nosso país!
Será que a carga tributária do Japão é tão pesada quanto a nossa e com um retorno ínfimo aos cidadãos pagantes de impostos? Não os chamo de contribuintes, pois contribuinte vem da palavra contribuir, contribuição. Que eu me lembre (lembro muito bem!) os governos Federal, Estadual e municipal não me perguntaram por carta registrada, e-mail ou consulta pública, se eu queria pagar impostos e quanto eu estava disposta a pagar, ou melhor, quanto eu poderia contribuir ou gostaria de contribuir, nem me informaram, qual seria a contrapartida dos impostos pagos.
Sei que na carta magna, a constituição federal de 1988, estão lá escritos vários, inúmeros direitos do cidadão. Entre eles: educação, saúde, segurança. Temos educação de qualidade para todos? Temos saúde de qualidade para todos? Temos segurança?
Não me venham agora com estas ideias, jogadas a cada jornal ou programa de tv, que se eu quiser melhorar minha cidade, meu estado e meu país, terei que fazer serviço voluntário!
Os senhores presidente, governadores, prefeitos, secretários de estado, secretários municipais e tantos outros cargos comissionados fazem serviço voluntário?
Vejam no portal da transparência, quanto recebe um secretário de estado para participar de reuniões de conselhos diversos, para as quais ele têm abono de ponto no seu cargo, provavelmente vá até com o carro oficial. Eles não fazem serviço voluntário! Recentemente verifiquei no site da transparência do Estado de São Paulo, quanto recebe um secretário de estado para participar destas reuniões de conselho... Chega perto de 10 salários mínimos!
Já participei, enquanto funcionária pública, de membro de um conselho municipal de educação. Ia para as reuniões de ônibus, cujas passagens eram pagas com meu dinheiro, do meu bolso! Nunca recebi um centavo para isto!
Não critico quem faz serviço voluntário para ocupar seu tempo. Também não critico, quem faz por querer ajudar o próximo.
O voluntário vai se quiser, vai quando quiser, fazer o que quiser.
Os serviços públicos, que pagamos, pagamos caro, não podem ser relegados à bondade de voluntários! Pagamos muito caro por os serviços, por exemplo, de limpeza pública, varrição, entre outros.

Mas o que é “killing”, que citei acima? Certa vez assisti uma palestra do Marcos Napolitano, sobre a televisão na sala de aula, na qual ele usou este termo se referindo exatamente a estas notícias, de final de jornal, cujo intuito é “matar” aquele mal estar deixado pelas notícias ruins, é deixar uma esperança para o indivíduo, que assiste o jornal na tv. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas sobre provas para eliminação de matérias e ENCCEJA E ENEM

Escrevi uma postagem com dicas para concurseiros de primeira viagem, mas analisando os atendimentos diários que faço no meu trabalho, pensei em escrever outro(s) texto(s) com dicas ou orientações sobre outros assuntos, pois mesmo com tanta informação disponível, as pessoas continuam sem conhecimentos básicos, que podem ajudá-las a resolver problemas simples do seu cotidiano, que vão desde onde procurar a informação, como também onde cobrar seus direitos.
Para começar esta série de textos, vou falar um pouco das provas para eliminação de matérias. As pessoas buscam muito este tipo de avaliação, na qual, desde que atinjam as médias, eliminam todo o ensino fundamental ou todo o ensino médio.
Para quem pretende eliminar o ensino fundamental - Ciclo II (antigo ginásio, 5ª a 8ª série, 6º ao 9º ano atualmente) poderá fazê-lo por meio do Encceja, que é uma avaliação de eliminação de matérias, ou seja, o candidato pode ir eliminando áreas (Linguagens e Códigos, Ciências da Natureza, Ciências Hum…

HISTÓRIA DE ANA ROSA

Você já ouviu a música sertaneja de Tião Carreiro e Carreirinho intitulada "Ana Rosa"? Se ouviu conhece a história dessa mulher. Se não ouviu, farei um resumo da história. Ana Rosa morava em Avaré, cidade próxima a Botucatu. Como muitas jovens de sua época casou-se cedo, pois havia se apaixonado por Francisco de Carvalho Bastos, mais conhecido como Chicuta, que era muito ciumento, por isso trazia a esposa sob constante vigilância. Homem dos idos de 1880, muito machista, começou a maltratar a mulher, tanto moral quanto fisicamente. Até que um dia a jovem esposa cansou de tanto sofrer, fugiu para Botucatu, refugiando-se em um cabaré de uma mulher chamada Fortunata Jesuína de Melo. Quando o marido chegou em casa e não encontrou a mulher, ficou cego de ciúmes, procurou-a por todos os lados, até que soube que ela havia fugido e para onde havia ido. Mais do que depressa ele se dirigiu para Botucatu, onde chegou e contratou José Antonio da Silva Costa, mais conhecido por Costinha, e He…

STAROUP: propagandas, história e futuro da marca

Você se lembra desta marca? Sabe de qual produto? Não?????!!!!!!
Pois bem... vou refrescar a memória daqueles que estão nos "enta", dos mais jovens que nunca ouviram esta palavra.
Quando eu era adolescente, o que não faz muito tempo, o jeans, que mais se ouvia falar, cujas propagandas eram inteligentíssimas, bem feitas, ainda por cima engajadas, eram da Staroup. 
Uma delas foi premiada internacionalmente, porque mostrava o engajamento dos jovens, que eram ousados, corajosos, lutavam contra o regime da época: a Ditadura Militar. 
Esta propaganda, famosíssima, ganhadora do Leão de Ouro em Cannes, foi pensada, pelo não menos famoso, Washington Olivetto, da Agência W. Brasil. Quer conhecê-la? Acesse e conheça!




Além deste premiado, há outros. Há o comercial abaixo, que mostra a então adolescente, Viviane Pasmanter, no papel da gordinha, que quer usar um jeans da Staroup e faz uma verdadeira maratona para conseguir alcançar seu objetivo. A qualidade do vídeo não é muito boa, porém vale…