Jornais impressos, on line, aprendizado da Língua

Atualmente com a internet, sites, blogs, se popularizou muito a palavra escrita, pois temos acesso a muito conteúdo com o toque dos dedos. Além do acesso, tudo ficou muito rápido, as notícias, os conteúdos digitais são atualizados hora a hora. Isto é bom? Temos jornais, que antes da internet, eram impressos e entregues casa a casa ou então comprados nas bancas de revistas.
Qual a diferença entre o impresso e o on line? O próprio suporte traz consigo tipos diferentes de autores e de leitores. No caso do impresso, por se ter um pouco mais de tempo até o fechamento da edição, o jornal não costumava ter muitos erros, no que diz respeito à Língua Portuguesa. No jornal impresso temos uma leitura linear, que exige determinadas habilidades do leitor.
E nos jornais on line? Leio alguns, como o UOL Notícias, Folha de S. Paulo. Nestes, por serem de grandes empresas, não é comum se encontrarem erros de escrita, concordância, ou informações absurdas ou equivocadas. Neste tipo de jornal exige-se mais uma interação entre a equipe responsável, editor, jornalista e um profissional da web, pois o texto e as informações a serem apresentadas terão um formato diferente do jornal impresso. Existem pesquisas, que dizem que os leitores de jornais on line têm um perfil diferente. Procuram a notícia e imagens.
Leio um jornal on line, da região onde moro, com frequência, pois gosto de estar informada do que ocorrer na cidade, na região. Este já surgiu com este formato, posteriormente, ganhou uma edição impressa, acredito que semanal. Pelo que soube, era uma empresa meio familiar, pequena. Não que isto seja ruim, mas diversas vezes encontrei erros no referido jornal, denominações de instituições públicas erradas ou desatualizadas.
Atualmente se percebe, pelo exposto acima, pela necessidade de ter informações e publicá-las rapidamente certo descuido com a língua escrita. Quais os prejuízos disto? A meu ver muitos.
Vamos a mais um exemplo. Na mídia televisiva, onde se dão notícias, durante a apresentação delas, por um âncora, um jornalista, na parte inferior da telinha são exibidas chamadas sobre a referida notícia. Neste caso também encontra-se com certa frequência erros, sejam de digitação, de concordância nominal, verbal.
Se já temos uma população, que segundo especialistas, lê pouco, por isto escreve mal, nos momentos de contato com a Língua escrita, ainda encontra erros, o que irá acontecer com esta massa?

Que serviço estão prestando estes órgãos, que contribuem para a Educação das pessoas e no aprendizado da Língua com estas informações deficitárias?

Comentários