Dicas para o Enem - parte 2


Mais uma vez o Enem vira assunto da mídia. Desta vez o motivo é a redação, que no ano anterior foi motivo de questionamentos, liminares, reclamações dos alunos.
Agora após as tempestades do ano anterior, temos mudanças importantes em relação à redação e a correção. Uma delas é que a redação será corrigida por dois corretores e quando a discrepância máxima entre as notas dadas por eles cairá para 200 pontos, se este limite for ultrapassado, um terceiro corretor analisará a redação. Após as diversas solicitações de revisão do ano anterior, os técnicos do MEC devem ter percebido que as correções do ano anterior estavam muito discrepantes, muito diferentes, ou seja, uns corretores talvez tenham sido mais criteriosos e outros nem tanto.
Mesmo havendo critérios de correção, e existem, há sempre um grau de subjetividade na correção, mas o assunto aqui será outro. Você é aluno? Então o assunto o interessará, acredito.
Algumas pessoas tendem a pensar que fazer uma redação é simples. Pega-se umas dicas de como escrever, como organizar as partes do texto, e... pronto! Não é bem assim! Uma boa base da Língua Portuguesa, conhecer as regras gramaticais, ter um bom vocabulário, tudo isto é muito importante, mas é preciso mais!  
Você sabe dizer que mais é este? Com todo este conhecimento acumulado nos anos da Educação Básica, que mais pode faltar?
Você é um bom leitor? Gosta de ler? Quantos livros leu este ano? Lê revistas ou jornais com frequência? Não vale somente revistas de fofocas, revistas para adolescentes, revistas sobre futebol. Nada contra estas leituras, mas para uma redação de uma avaliação como o Enem, uma prova de vestibular, uma prova de concurso pede outras leituras.
Se você já pesquisou, olhou provas anteriores do Enem, deve ter verificado que os temas propostos enfocam assuntos atuais. Abaixo uma lista dos temas tratados nas diversas versões do Enem:

Ano
Temática da Redação
2011
Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado


2010
O trabalho na construção da dignidade humana
2009
O indivíduo frente à ética nacional
2008
Como preservar a floresta Amazônica: suspender imediatamente o desmatamento; dar incentivo financeiros a proprietários que deixarem de desmatar; ou aumentar a fiscalização e aplicar multas a quem desmatar
2007
O desafio de se conviver com as diferenças
2006
O poder de transformação da leitura
2005
O trabalho infantil na sociedade brasileira
2004
Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação
2003
A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo
2002
O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais que o Brasil necessita?
2001
Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar os interesses em conflito?
2000
Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional
1999
Cidadania e participação social
1998
Viver e aprender

Talvez você esteja se perguntando: por que colocar esta tabela no meio do texto? Tenho uma boa razão: analisarmos os temas.
Primeiro: leia um por um. Leu? O que achou? O que percebeu? Alguma semelhança entre eles?
Em dois anos, o foco foi o meio ambiente: 2001 e 2008. Em outros dois anos, o foco foi comunicação: 2004 e 2011.
Poderíamos continuar esta análise, mas acredito que você, leitor, tem condições de continuar.
Agora vamos pensar mais um pouquinho... o que está acontecendo neste ano no Brasil e que envolve outros países do Mundo? Não sabe? Não leu nada a respeito?
Talvez esteja aí um problema: a desinformação. Este ano está acontecendo a Rio+20, que vai discutir com os líderes mundiais soluções para problemas ambientais.  Talvez esteja aí o tema deste ano. Quem sabe não será novamente meio ambiente?
Além de estar informado, uma coisa muito importante é prestar atenção à propostas de redação, o que é pedido. A comanda do ano passado era:
“Com base na leitura dos textos motivadores seguintes e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema VIVER EM REDE NO SÉCULO XXI: OS LIMITES ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO, apresentando proposta de conscientização social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.”
            Por que grifei estes termos? Para isto. Para que você preste mais atenção a eles. Por quê? São importantes indicações para realizar bem a sua redação. Vamos por partes...
Primeiro a redação deverá ter como base os textos motivadores que compõem a proposta da redação, não escreva qualquer coisa. Leia os textos, grife termos chave, partes importantes, desta forma já estará organizando ideias que utilizará depois.
O texto não é somente dissertativo, é dissertativo-argumentativo, porque você terá que argumentar, defender seus pontos de vista, suas ideias. Já acabou? Não, neste caso, além de argumentar havia a solicitação de apresentação de uma proposta de conscientização social que respeitasse os direitos humanos.
Acabou? Não!!! Tudo isto, um texto bem embasado, com argumentação consistente, de forma coerente e coesa, utilizando a norma padrão da língua portuguesa. É isto mesmo!!! Norma padrão, sem gírias, sem abreviações do seu “internetês”.

Quer saber mais sobre:

Comentários