O que são nossas lembranças? Imagens? Sons? Cheiros?


Há memórias que são ativadas por cheiros, sons, imagens, músicas, sabores. Todos temos esta capacidade de ativar com uma destas sensações memórias há muito esquecidas, que a um simples toque, um cheiro que toca seu nariz, entra pelas narinas, vai até o cérebro e pronto, se fez a mágica! Surge aquele imagem nítida de algo vivido há pouco ou muito tempo. Neste momento se fecharmos os olhos, poderemos sentir tudo que envolveu aquele momento: o vento, o perfume, o arrepio, o toque, a música.
Também sinto isto! Há pouco ouvia uma música, antiga, “Moendo café”, que me trouxe lembranças especiais. Quando criança em uma festa da escola, acho que do folclore, dancei esta música vestida com um vestido marrom e com delicadas flores amarelas, um chapéu de palha, uma peneira enfeitada com fitas amarelas, ao som desta música, eu e mais várias colegas de turma desenvolvíamos uma coreografia que tinha a ver com a música, com a história do Estado do Paraná, e de minha cidade natal, a cultura do café, que por décadas foi o ouro de nosso Estado.
E os gostos? Quando criança comia sempre com um fio de azeite, o que mantenho até hoje, mas o gosto do azeite, aquele da infância, o cheiro dele... não são os mesmos de agora! O que mudou? Não sei.
E o cheiro? Moramos por um tempo em uma chácara, onde havia várias mangueiras atrás da casa, que faziam uma deliciosa sombra, que amainava o calor escaldante do verão terrariquense, mas o cheiro das mangas maduras então... manga manteiga, manga espada. Nunca esqueci!
As imagens então... são tantas! Na mesma cidade, para irmos à chácara de um tio, passávamos por uma estrada de terra comprida, ladeada de pequenas propriedades, mas uma delas era especial, chamava muito minha atenção. Era a chácara Primavera. No portão de entrada havia um enorme pé de primavera, que subiu sobre um tablado de madeira. Mas não era isto que me encantava! Diante da casa, que ficava mais no fundo da propriedade, havia um jardim com cogumelos pintados de vermelho com bolinhas brancas, os anões da branca de neve, se não me engano. Eu achava aquilo lindo! Aqueles cogumelos bem vermelhos se destacavam no gramado verde! Parecia um outro mundo, um mundo de faz de conta, um mundo mágico.
São tantas sensações, imagens, cheiros... com certeza você, leitor, tem os seus. Talvez neste exato momento esteja relembrando-os ao ler este texto. Se estiver, aproveite!
  

Comentários

Ivan Leite disse…
A memória que os cinco sentidos nos proporciona é sempre uma grande felicidade!!!