Algumas palavras sobre Educação


Não gosto de ficar opinando sobre Educação, mas acabei de ler um texto de um jornal de Barbacena-MG, onde em vários parágrafos ou autor tece inúmeros comentários elogiosos às fantásticas escolas particulares, onde, segundo ele, os professores são ótimos, tem talentos adicionais, que usam em suas aulas no “palco” da sala de aula.
E não para por aí. Acho que o que falta dizer, não deve ser diferente lá, é que muitos dos professores que atuam nas escolas particulares, também atuam nas redes públicas.
Que há professores nas redes públicas que se esmeram para fazer o melhor. Há professores que tocam violão e cantam, adaptando seus conteúdos para os tornarem mais atraentes aos alunos.
Há professores que fizeram mestrado no Brasil, cursos no exterior, que escreveram livros, que desenvolvem projetos inovadores.
Mas por que não se falam destes profissionais? Porque estes trabalhos não aparecem?
Porque a mídia precisa de acontecimentos que chamem a atenção, que causem impacto. Quais foram estes acontecimentos relacionados à Educação?
Acredito que também se lembrem de alguns.
O rapaz que entrou na escola onde estudara, atirou em alunos, professores, depois se matou.
O garotinho, que esta semana, atirou na professora e depois atirou na própria cabeça.
O aluno de quatro ou cinco anos, que no ano anterior, levou uma arma pra escola, acabou matando um coleguinha, enquanto mexiam na arma. Não se falou mais no assunto, pois envolvia uma escola particular.
Se digitar aluno mata professora ou aluno mata aluno no Google verá a quantidade de notícias a respeito, em todos os Estados, cujas notícias se encontram nos grandes jornais impressos e on line.
Se fizer outra pesquisa colocando “professor de rede pública ganha prêmio”, verá que os resultados aparecem, em sua maioria, nos sites institucionais, ou seja, dos governos dos Estados, não aparecem nos holofotes da mídia, não aparecem nos grandes jornais, nem nos jornais regionais.
Mas por que isto acontece?
Pense... pense... pense....
Conheci, conheço, profissionais sérios, que trabalham sério na Educação onde quer que estejam.
Conheci uma Diretora, que atuou dezesseis anos em uma mesma escola, conseguiu neste período transformá-la em uma das escolas mais buscadas pelos pais de uma cidade de grande porte, onde haviam outras cinquenta escolas públicas. Séria, rígida, trabalhava muito, todos os dias. Cuidava se os funcionários da secretaria atendiam bem o público, se o atendimento era feito com Educação e eficiência. Não ficava na sala dela, sentada.  Se ouvia um barulho diferente na hora do intervalo, que sugerisse alguma briga, saía rapidamente da sua mesa na secretaria e se dirigia para o pátio, verificar o que acontecia, se precisa intervir ou se o inspetor daria conta. 
Conheci uma outra diretora, que passou por praticamente todos os cargos na escola, secretária, professora, vice-diretora, até se efetivar como diretora. Não se apertava! Conhecia tudo de pagamento de professores, vida de aluno. Falava com calma, voz mansa, mas trabalhava seriamente, comprometida com a escola, professores, alunos.
Estas duas pessoas são alguns exemplos dos profissionais que existem por aí, que anonimamente, diariamente, comprometidamente trabalham pela Educação deste País.
Infelizmente estes profissionais não são notícia!!!!

Comentários

Ivan Leite disse…
Bravo!!! Bravo!!! Seu texto transmite o espírito da escola pública que nenhum canal de teve e jornal quer publicar, ou por desconhecimento, ou por contrariar seus lobistas.