Perguntas...

Lemos certas opiniões na internet, que nos fazem questionar, o quanto aquela pessoa tem isenção para falar, publicar certas coisas que pensa.
Sabe aquela situação? Faça o que eu digo, não faça o que eu faço?
Como alguém pode se arvorar a falar, que o povo está mal acostumado, que vive cada vez exigindo mais e mais do Estado, querendo viver unicamente às custas dele?
Que o Estado deveria oferecer o mínimo (como se isto já não fosse feito)?
Uso o termo Estado aqui, não indicando este ou aquele Estado da Federação, mas como deve ser entendido, como uma das definições trazidas no dicionário Michaellis “Nação politicamente organizada por leis próprias.”
Desta definição clara, mas cheia de conteúdo, já podemos tirar algo, que regula as ações de todos dentro do País, da Nação (ou ao menos deveria): as leis.
Como é sabido, por todos, em especial por todos os funcionários públicos, seja de qual Estado for, em 1988 tivemos a publicação da nova carta magna do Brasil, que traz as concepções, direitos e deveres de todos, inclusive os do próprio ESTADO.
Esta constituição, elaborada atendendo a uma necessidade da nova situação do País, que saía de décadas de Ditadura e passava a respirar os ares da democracia.
Quem foi lá redigir esta Carta? Eu não fui. Ninguém que eu conheço foi também. Foram os representantes do povo, que tinham a competência legal para propor e aprovar Leis.
Oras se os direitos que estão lá expressos, dizem respeito ao povo, são muitos, são poucos, não vêm ao caso aqui. O que vem ao caso é que estão lá, são Lei, por isto deveriam ser cumpridos seja pelo Presidente, Governador, Prefeito.
São plenamente cumpridos?
Não vou deixar aqui minha opinião. Vou deixar alguns questionamentos sobre eles. Questionamentos embasados nas notícias diárias dos canais de TV, sites de internet, jornais locais, etc, etc.
Saúde. Por que, frequentemente, as pessoas denunciam: falta de remédios, faltas de leitos hospitalares, doentes em macas, cadeiras espalhados nos corredores dos hospitais públicos espalhados pelo País? Por que o direito à saúde está sendo garantido a todos igualmente?
Segurança. Por que, frequentemente, as pessoas são vítimas de assaltos à mão armada? São mortas diante do portão de suas casas? São roubadas dentro de suas residências, na rua, na praia, no ônibus, no metrô, no trem? Por que o direito à segurança está sendo totalmente atendido?
Educação. Por que as pessoas, pais, mães, responsáveis, vão aos jornais e à TV denunciar falta de vagas, escolas com manutenção precária, falta de professores, falta de funcionários, escolas sem telhado, escolas sem carteiras, crianças sem creche, crianças sem educação infantil? Seria por que o direito à Educação estaria sendo totalmente atendido?
“Quero um Estado mínimo, mas aceito de bom grado as benesses, que o alto cargo que ocupo, me proporciona! Tem auxílio aluguel? Quero! Tem auxílio faculdade? Quero! Tenho dinheiro para pagar e manter meus filhos na universidade, mas se o Estado me proporciona, por que não? Meu filho tem direito a uma determinada cota. Financeiramente não preciso usar, mas se o Estado me fornece... QUERO! Critico os gastos do Estado! Trabalho em um alto cargo, ou sou vereador, preciso andar com um carro novo, nada de carro popular, ah! Também quero gasolina à vontade! Tudo pago por quem? Pelo povo, claro! Quem mais?”
Uma pergunta... quem mesmo está cheio dos direitos e usufrui plenamente deles?


Comentários