Histórias de remédios caseiros

Cada um de nós é fruto de sua época, de seu tempo. Por que digo isto? Os adultos de minha geração, entre os 40 e 50 anos, que viveram no sítio, em locais distantes de grandes centros, com certeza viveram situações parecidas com as que vou contar.
Quem já não ouviu falar de remédios caseiros? Chás? Emplastros? Compressas? Todos nós conhecemos um chazinho bom pra isto, ótimo pra aquilo, não é?
Quando criança, por volta de 4 anos mais ou menos, na cidade onde morávamos era comum muitos besouros rodeando as lâmpadas, fossem estas dentro ou fora de casa. Em uma noite um destes besouros, o famoso rola-bosta,  entrou em meu ouvido. Minha mãe era super atenta conosco, percebeu o fato, mas o bichinho já estava bem dentro do ouvido, o que impossibilitava sua retirada, logo ela usou o recurso comum pra época para casos como este, esquentou óleo de cozinha em uma colher, quando viu que estava em uma temperatura suportável, jogou o líquido dentro de meu ouvido, o que obrigou o besouro a sair.
Um de meus irmãos passou por uma situação inusitada. Apareceu em um de seus olhos uma pústula, que machucava, dificultava a visão. Minha mãe tinha, em uma das gavetas da máquina de costura, uma pomada chamada terramicina, antiga, há muito guardadinha para as necessidades (naquela época os remédios não tinham prazo de validade, nem havia fiscalização para isto), logo lançou mão do remédio milagroso, passou no olho doente, que foi curado.
Quer mais histórias sobre remédios caseiros? Temos muitas!
Já ouviu falar em vermes? Nãããooooo? Só leu nos livros? Eu vi ao vivo e em cores! Era comum pegarmos vermes, talvez por andar descalço (eu não andava!), por comer alface cujas folhinhas tenras, verdinhas, fresquinhas eram colhidas e imediatamente comidas por mim. Qual verme tive? Ascaris, na verdade o nome todo é ascaris lumbricoides. Este é um vermezinho bem pequenino, parece um fio de cabelo de tão fino, branco, quase transparente. O que ele causa? Uma coceira enorme, à noite, no ânus, pois eles saem do intestino e ficam picando a criança exatamente neste lugar. Não me lembro de ter tomado vermífugo, mas o que me lembro é de longos tempos passados sentada sobre um penico com água e açúcar, pois o danado do ascaris lumbricoides descia, segundo minha mãe, por causa do cheiro do açúcar.
Mais uma de remédio caseiro...
Tive também uma doença, quando criança, chamada icterícia, que causa entre outras coisas uma amarelidão dos olhos, da pele. Para curar?  Banho de picão! O que é picão? É uma erva que tem diversos nomes, mas na minha região conhecíamos somente por picão.  Sim, tomei banhos de picão, vários banhos. Somente em 2009 o Ministério da Saúde reconheceu as propriedades fitoterápicas desta planta, que são muitas. Se tivessem perguntado pra minha mãe, pra mãe dela, pra mãe da mãe da mãe...
Você que está lendo este texto com certeza já levou alguns tombos: de bicicleta, skate, patins, andando. Remédio pra torção?  Erva Santa Maria macerada e esfregada sobre o machucado, desinchava o local rapidamente.
O leitor deve estar se perguntando “Por que usavam tantas ervas?” Por um longo período as pequenas cidades, isoladas, nem cidade eram, tinham, quando muito, uma farmácia e um “farmacêutico” que indicava remédio pra tudo. Quando não se tinha esta pessoa, pois não haviam hospitais, quando haviam eram muito distantes, as pessoas curavam suas doenças com o conhecimento transmitido pelos seus ancestrais, o chamado conhecimento empírico.
Você conhece ou viveu algo parecido? Sobreviveu? Pois é, passamos por diversos remédios caseiros, estamos aqui para contar estas e muitas outras histórias!

Comentários