Algumas palavras sobre a desburocratização - parte 2

Após enviar alguns e-mails, receber algumas "respostas", tive acesso a um telefone e nome (de uma PESSOA) com quem deveria falar, saber o porquê do não recebimento dos meus vales alimentação, que após quatro meses de trabalho, ainda não foram pagos.
A pessoa que atendeu, muito educada por sinal, falou-me das mudanças de algumas leis, que mudaram jornadas do professor, mas que não foram feitas adequações para o pagamento, de acordo com as novas regras, desse benefício, pois as Secretarias A, B, C responsáveis pelos funcionários (professores), contratação, pagamento, etc... ainda não se sentaram para discutir o problema, o que deverá acontecer nos próximos dias. Que os Secretários vão sentar e discutir as soluções para o problema dos professores efetivos, que são os que não estão recebendo o referido vale. 
Tudo isso me leva a pensar, que primeiro mudam-se as leis, depois corre-se atrás dos prejuízos... no caso, os prejudicados estão sendo aqueles, que estão trabalhando  sem receber o que lhe é devido por Lei.
Irei dando notícias a respeito. Vamos ver quanto tempo demorarei para receber meus vales. Será que nas autarquias dos governos acontece isso? 
Será que nas empresas, grandes, também acontece isso? 
Há bastante tempo atrás, quando eu, com Curso Universitário, recebia de vale alimentação R$ 4,00 (não recebendo, mas de 80 reais por mês), meu irmão com ensino médio recebia por dia R$ 10,00, valor que na época já não dava para almoçar na região onde ele trabalhava. 
Apenas uma comparação... Será por isso que a maioria dos jovens olha a carreira do magistério com tanto desdém? 

Comentários