Eleições e a Lei de Gérson

O segundo turno das eleições, diferente do primeiro, foi tranqüilo, pois minha rua ficou limpa, sem o monte de sujeira jogado pelo chão, sem o grande volume de pessoas fazendo boca de urna. No primeiro turno, a rua ficou repleta de contratados dos candidatos fazendo boca de urna, mesmo sendo proibida por lei, como é do conhecimento de todos, inclusive dos próprios candidatos. Essa balbúrdia finalmente acabou, quando a polícia passou e levou boa parte das pessoas, fazendo assim cumprir a lei.
Não tenho nada contra quem trabalha, pois as pessoas trabalham porque precisam, muitos são desempregadas ou então desempregadas há anos!
O que não concordo é com o fato de que os candidatos, que vão nos representar (em tese todos vão) fechem os olhos para a lei, mesmo sabendo que a proibição existe, contratam muitas e muitas pessoas para fazerem as tais bocas de urna, ou seja, aqueles que devem cumprir e fazer cumprir a lei, vão inclusive elaborá-las, são os primeiros a desobedecê-las.
E é aí que começa o problema, pois o "bêbado" que toma conta dos carros na feira, se acha no direito de cobrar o uso de um espaço público (a rua é pública), assim são outros flanelinhas, que quando questionados simplesmente dizem "os outros fazem!".
Nos debatemos diariamente, na Educação, para reverter essa ordem, esse código implícito nas ações da sociedade, que vão servindo de exemplo, que vão dando aos jovens essa consciência errônea, que dia a dia ressuscitam a "Lei de Gérson: gosto de levar vantagem em tudo, certo?"
A maioria dos adolescentes e jovens nem sabem quem foi o Gérson, nem conhecem essa célebre frase que ele disse em uma propaganda de cigarros nos anos 70, que não apenas o marcou, mas ainda marca muitos brasileiros, que se utilizam dessa premissa no seu cotidiano. Como?
Ao passar de carro velozmente o farol verde para o pedestre, quase atropelando quem se atrever a passar na faixa de pedestres.
Ao furar a fila do banco para pagar suas contas, pois ele "precisa", ele não tem tempo, ele tem compromissos... E os outros que também estão na fila não têm?
Ao "mascarar" a declaração do imposto de renda, porque acha que paga impostos demais ao governo, mesmo sabendo que corre o risco de cair na malha fina da Receita Federal.
Poderia ficar aqui dando exemplos de ações que nos indicam que a Lei de Gérson está viva na mente de muita gente, mais que isso guia suas atitudes!
Enquanto isso, nós, vamos lutando contra a corrente, dialogando e tentando provar a adolescentes e jovens que ser honesto e respeitar as leis vale a pena, sim!

Comentários