Pular para o conteúdo principal

Quem somos? O que somos?


Estas duas perguntas estão na alma e na mente dos seres humanos desde os primórdios da humanidade.
Na atualidade somos muitas coisas... para o governo somos números (CPF, RG, CNH, Título de eleitor, PIS, conta corrente...).
Para o presidente, governadores e prefeitos somos pagantes... de impostos os mais variados (a maior carga tributária está aqui!): IPVA, IPTU, ITBI, ICMS, ISS, COFINS, e tantos outros que pagamos sem saber.
Para estes e senadores, deputados, vereadores somos apenas eleitores, quanto mais, melhor. Quanto mais alienados, melhor.
Para os bancos somos o número da conta corrente, dos investimentos, possibilidades infinitas de nos endividar: empréstimos pré-aprovados, financiamentos, mais uma vez viramos números, os muitos números que virão nos juros por trás de cada um destes produtos.
Para os convênios médicos somos números e pagantes, descartáveis, quando não mais pudermos pagar pela “qualidade” da saúde que vendem.
Hoje, durante visita a uma médica, enquanto aguardava, na recepção, pela consulta marcada há uns 3 meses ou mais, fiquei lendo as revistas (não muito velhas), ouvindo conversas ao telefone de outras pessoas que, como eu, aguardavam, conversas da recepcionista (uma mocinha serelelepe, baixinha, olhar assustado, corre pra lá, pra cá, atende o telefone, aciona o portão eletrônico, acessa o netbook, atende aos médicos... ufa! Já cansei só de falar!). Ouvindo estes atendimentos, em dado momento, consegui direcionar minha atenção para certo diálogo dela com a médica, que me atenderia minutos depois.
A eficiente recepcionista passava para a médica uma relação das próximas consultas, mas não ouvi nomes, de pessoas. O que ouvi foi o seguinte... “A senhora tem agora: um PREVER, um IAMSPE (este era eu), um UNIMED, outro PREVER...”
Nós, pessoas, nos transformamos nisto: placas de empresas de convênios médicos. Não somos pessoas, que ficam doentes, sentem dores, sentem medo, precisam do médico para consultá-las, conversar com elas, esclarecê-las.
No final das contas somos também números... um número na ficha do convênio, um número de um protocolo de atendimento,  que autorizará um outro número (o dos honorários médicos).
Enfim, senhores e senhoras, somos números, nada mais que números!!!



Comentários

Ivan Leite disse…
Que dureza, não é Delfiol? Uma coisa você não escreveu, que o documento de identidade deve estar com uma foto atualizada, pois foi isso que exigiram da minha esposa ontem para não renovarem seu auxílio doença no INSS. O número e a foto é essencial e não o que o ser humano sente ou está passando. É revoltante saber que a atenção do tratamento está ligado a importância do nome do seu suado pagamento de convênio. O que somos?
Não sei bem, mas que deveríamos ter mais respeito.

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas sobre provas para eliminação de matérias e ENCCEJA E ENEM

Escrevi uma postagem com dicas para concurseiros de primeira viagem, mas analisando os atendimentos diários que faço no meu trabalho, pensei em escrever outro(s) texto(s) com dicas ou orientações sobre outros assuntos, pois mesmo com tanta informação disponível, as pessoas continuam sem conhecimentos básicos, que podem ajudá-las a resolver problemas simples do seu cotidiano, que vão desde onde procurar a informação, como também onde cobrar seus direitos.
Para começar esta série de textos, vou falar um pouco das provas para eliminação de matérias. As pessoas buscam muito este tipo de avaliação, na qual, desde que atinjam as médias, eliminam todo o ensino fundamental ou todo o ensino médio.
Para quem pretende eliminar o ensino fundamental - Ciclo II (antigo ginásio, 5ª a 8ª série, 6º ao 9º ano atualmente) poderá fazê-lo por meio do Encceja, que é uma avaliação de eliminação de matérias, ou seja, o candidato pode ir eliminando áreas (Linguagens e Códigos, Ciências da Natureza, Ciências Hum…

ENCCEJA 2017 – ELIMINAÇÃO DE MATÉRIAS – CONCLUSÃO ENSINO FUNDAMENTAL – CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO

Se este texto for útil para você, deixe seu comentário, dizendo se gostou, como encontrou este blog.

Se você precisa concluir o Ensino #Fundamental ou Ensino #Médio, não tem condições de frequentar a escola, tem 15  ou 18 anos, poderá se inscrever para as provas do #Encceja, que o MEC voltará a aplicar neste ano. Por meio desta prova você pode obter a #conclusão do Ensino Fundamental ou Ensino Médio, ou ainda, eliminar as matérias, nas quais conseguir acertar ao menos 50% das questões em cada área, inclusive na redação. Importante salientar, que a partir deste ano o #Enem deixará de servir para certificação do Ensino Médio, portanto se você precisa concluir o Ensino Médio aproveite e faça o #Encceja2017. Outra informação muito importante, para quem reside no Estado de São Paulo, é que após realizar a prova do encceja e não passar em todas as áreas, poderá procurar, a qualquer momento, um dos CEEJAS existentes. O CEEJA é uma Centro de Educação de Jovens e Adultos, que é um projeto, cuja fr…

Documentos escolares: onde encontrá-los?

Muito já se falou a respeito da internet. Que é uma boa ferramenta. Que é perigosa, em especial para crianças, que ainda não têm senso para perceber o perigo. Além disto, já se falou também da infinidade de informações que temos acesso pela net. Vamos falar, neste texto, deste último ponto. Como ter acesso a esta infinidade de informações, chegando até a informação que se deseja. Por meio deste blog, sempre recebo perguntas de internautas sobre alguns textos, alguns assuntos, que abordei em outras postagens, pedindo maiores informações. Ontem recebi um destes questionamentos, que pedia mais informações sobre o CEEJA. Deste questionamento surgiu a ideia desta postagem. Como a pergunta era relacionada à Educação, irei tratar, nesta postagem, disto... Onde conseguir maiores informações a respeito de: escolas, históricos, documentos antigos, etc... etc... Vou focar, nesta postagem, as informações relacionadas ao Estado de São Paulo, pois cada Estado da Federação tem uma Secretaria de Educação…