Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

Mais uma vez

Imagem
Mais uma vez, a segunda, tenho uma foto de minha autoria participando Salão Internacional de Fotografia, organizado pelo Fotoclube do Jaú. Hoje, 15/08, iniciou-se a exposição das fotos premiadas, com menções honrosas, as aceitas para participar deste evento, que é a culminância de todo um processo, que começou há cerca uns quatro ou cinco meses. Novamente a exposição está acontecendo no Jaú Shopping, localizado na Av. Dr.  Quinzinho, 511, em Jaú. A montagem com todas as fotos participantes está próxima à Lojas Americanas. Visitar esta exposição é deleitar-se com cada uma das fotografias de altíssima qualidade vindas de todos os cantos do mundo! Ao percorrer cada um dos corredores de fotos, ir vagarosamente, parando diante de cada foto, observando detalhes, cores, enquadramentos, perspectivas, manipulação, ou não, das imagens, diferentes técnicas utilizadas pelos fotógrafos, claro, ampliam nossa visão da fotografia! Mas mais que isto, vemos o quanto a fotografia é uma linguagem universa…

Quero ser muito feliz!

Hoje, em um jornal local, mostrando uma instituição, que receberá recursos do Criança Esperança, entrevistaram alguns alunos, entre eles, uma menina para a qual perguntaram qual era o sonho dela. Ela respondeu que tinha muitos sonhos! Mas queria mesmo é ser muito feliz! Fiquei pensando nesta fala dela, de uma criança, nas expectativas que temos durante a vida, em especial esta, o desejo de ser muito feliz. Passamos boa parte de nossa vida correndo atrás dela, como se fosse algo tão distante, inatingível! Como se a felicidade fosse algo tão grande, tão imensurável, que só pudéssemos sentir poucas e únicas vezes na vida! Não paramos para pensar, o quanto somos felizes diariamente! O que sentimos ao acordar pela manhã, abrirmos nossos olhos e constatarmos que estamos vivos? Quando participamos de uma reunião de família e vemos a maior parte dela reunida? Quando ganhamos um gostoso, caloroso e afetuoso abraço de uma sobrinha, de um sobrinho, de um irmão, de um amigo, que há muito não víamos,…

Pagamos, mas não levamos!

Você já parou para pensar no tanto de serviços públicos ou privados, que pagamos, mas não levamos? Sim! Não levamos! Porque o serviço contratado não ocorre como informado no ato da contratação ou pagamos, por meio de inúmeros impostos, mas ao precisarmos dos mesmos as dificuldades são tantas, os empecilhos são tamanhos, os prazos são tão longos, que nos vemos obrigados a pagar, novamente, por um serviço que já pagamos aos Governos: Federal, Estadual, Municipal. Vou começar falando dos serviços de telefonia móvel. Você contrata um plano, que promete infinitos recursos (ligações, internet), mas com o passar do tempo a operadora muda as regras, você tenta acessar a internet e aparece aquela mensagem “Você já utilizou o limite de sua franquia. A velocidade de conexão está sendo diminuída”. Neste diminuída entenda-se: você não vai conseguir abrir NADA, NADA, NADA! Aí você acha que se mudar de um plano pré pago para outro, terá um serviço melhor, contrata um plano com valor fixo, mais dez re…