Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Concentração X novas tecnologias

Tenho observado em mim e em pessoas que me rodeiam mudanças na  capacidade de concentração. A que se devem estas mudanças? Não vou falar de aspectos científicos, pois não sou especialista, mas vou tratar, como é a proposta deste blog, de impressões minhas sobre o assunto. Trabalho em um ambiente com mais pessoas, na mesma sala, mais de dez. Vários telefones que tocam, as vezes ao mesmo tempo, outras em tempos alternados, mas sempre com barulhos, uns mais altos, outros mais baixos.  As pessoas também conversam atendendo os telefones, entre si, atendendo pessoas nas salas ao lado, pessoas que adentram a nossa sala em busca de alguma informação. Diante deste espaço cheio de ruídos, quando preciso realizar um trabalho, que exija maior concentração, busco outra sala, de uso comum, ao lado para tentar me concentrar mais, mas nem sempre consigo. Na referida sala também tem telefone, tem pessoas que usam o espaço também, enfim, o tempo todo estamos em locais, que nos distraem seja pelo barulho …

Desafio literário no Facebook

Está acontecendo no Facebook um desafio, que consiste em postar um poema por dia, e a cada dia desafiar quatro dos seus amigos a fazerem o mesmo.
Gostei da proposta e estou participando, porém desafiei a mim mesma a escrever os poemas e não postar poemas conhecidos, assim seria também um exercício criativo de escrita e de reflexão sobre a vida, sonhos, projetos, a escrita.
Abaixo os poemas, que redigi para o desafio, que vou postar aqui.

1º dia


Sentimentos do outono
O outono toca o apito do trem Velho trem, de carga, que desliza pelos trilhos Da bela, antiga, estação abandonada Prometeram restaurá-la. Que nada!
O outono toca o leve e frio vento Que sopra do Sul e varre a Cuesta Esfria a face da bela jovem E o corpo desnutrido do homem que dorme ao relento.
O outono toca minha visão Que fica embevecida com suas cores O amarelo do ipê O ipê rosa As flores brancas e translúcidas do ipê Chuva constante durante o dia Forrando o chão de branco.
O outono toca a suave música Que emana do sino do Santuário��������…