Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2011

Aumento do salário mínimo e a Lei de Responsabilidade Fiscal

Esta semana assisti a um trecho das discussões sobre o aumento do salário mínimo, que estava em votação, acho que no Senado.



Interessante, em meio à votação, falas dos Deputados, quando um deles, ao votar, disse esta pérola “Que o valor do salário mínimo a ser votado era algo circunstancial”.


Fiquei pensando nos aumentos dados aos próprios parlamentares nos últimos anos, que acontecem e são votados rapidamente, sem se consultar se os cofres públicos (lembra a Lei de Responsabilidade Fiscal...) poderão pagar o aumento deles sem aumentar os impostos que nós, contribuintes, pagamos.


A última votação de aumento para o “Senhores Parlamentares representantes do povo” aconteceu no dia 15\12\2010, às portas do Natal, naquele período, que sabemos, a maioria da população está às voltas com as compras de natal, preocupados que estão com presentes, perus e castanhas, por isto a atenção para os destinos do país fica em segundo plano.


Mas o citado aumento equiparou o salário de Presidente da Repúbli…

Meu brinquedo preferido

Li em uma revista de Educação a pergunta “Qual era o seu brinquedo na infância?”. Esse questionamento me levou a “escanear” a minha memória em busca de recordações, que trouxessem à tona brinquedos, brincadeiras. Lembrei-me de uma boneca de plástico, pernas e braços longos e finos, parecendo meninas na adolescência, cabelos longos, que por muito tempo guardei, mesmo ela tendo sido objeto de uma brincadeira de um dos irmãos mais velhos, que, boneca nova, escreveu-lhe na testa: Maria. Parecia que queria mostrar pra todos que a dona daquela boneca era eu. Chorei muito por isso!!! Não, não era ela meu brinquedo preferido. Lembrei-me também de várias bonecas pequeninas, com as quais ficava horas brincando, costurando roupinhas pra elas, vestindo-as cada momento com uma roupa diferente. Prenúncio de uma grande estilista? Não. Apenas influência de uma mãe costureira, auto-didata, que ajudava no orçamento doméstico costurando pra vizinhança. Não, não eram elas o objeto de minhas brincadeiras mar…